sábado, 24 de novembro de 2012


Empresa de asseio quebra e deixa os trabalhadores na mão



Neste sábado (24/11) o Siemaco – Sindicato dos Empregados em Empresas de Asseio e Conservação de Curitiba está realizando as homologações de cerca de 300 funcionários da empresa Executiva Serviços Patrimoniais Ltda. que prestavam serviço no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) e Procuradoria da República.

Os valores retidos com os tomadores, no entanto, não são suficientes para a quitação dos débitos com os trabalhadores e as homologações acontecem principalmente para a liberação do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) e encaminhamento para o Seguro Desemprego.  As diferenças rescisórias e os demais direitos dos trabalhadores serão cobrados judicialmente pelo sindicato.

 “É lamentável que nem as empresas que atuam dentro de órgãos de defesa dos trabalhadores não respeitem os direitos de seus próprios funcionários. São necessários melhores critérios nas licitações e o fim dos pregões eletrônicos em casos de contratação de serviços de mão-de-obra que envolve seres humanos, afirmou Manassés Oliveira, presidente do Sindicato.
Segundo o Siemaco, a contratação pelo menor preço praticada principalmente pelos órgãos públicos tem, nos últimos anos, acarretado aos governos milhares de ações trabalhistas e o pagamento de valores superiores aos contratos, pois a CLT (Consolidação das Leis de Trabalho) e a CCT (Convenção Coletiva de Trabalho) garantem multas pesadíssimas o que podem fazer triplicar o valor final dos contratos. “Quem contrata mal, acaba pagando duas vezes por causa da responsabilidade solidária e a subsidiária”, afirmou Manassés.